quarta-feira, 11 de julho de 2012

Metade


Metade
(Débora Acácio 25/04/2012)

Em minha caminhada pouco aprendi
Mas de tudo que vivi
Eu percebi que não tem como ao outro me dar.
Me doar, quando nada tenho de mim para compartilhar.

É preciso sim estar inteiro
Com o sentimento interno coeso
Para evitar dano, desilusão ou decepção,
Porque metade de mim é emoção
E outra é razão.

Do muito que do outro senti
Percebi que existem pessoas
Que nos tatua a alma
Que viram marcas gostosas
De serem tocadas pela minha recordação.

E recordando vou vivendo
Sentindo tudo que não posso ter naquele momento
Não! Não me soa como lamento
Pois quando existe sentimento bom
Para lembrar
Não posso nada da vida reclamar.
 

2 comentários:

  1. é verdade amiga...nada de lamentos,lindo fim de semana beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OI Marcinha....

      Beijos e cheiros

      Debby :)

      Excluir

Entre, sente, leia e viva a poesia...
Desde já agradecendo o doce carinho de seu comentário
Debby :)