terça-feira, 14 de agosto de 2012

Luz


Luz
Débora Acácio 15/02/2011
 

Noites sem luz..
Noites que parecem sem fim..
Noites assim
Em que nos dá aquela vontade de sumir
A sensação de que nossa dor é maior
Que os amados amigos sumiram
Que nem os parentes nos enxergam..
Em noites assim
Respira o teu silêncio...
Olhe menos para o teu umbigo
O perceba que....
Se te fechas para o mundo
 
É porque é chegada a hora
O momento raro
Único e necessário
do teu crescimento
São passos, topadas
Que só os teus pés , os teus calcanhares
terão que pisar, terão que sentir,,,
 
Noites sem luz...
E o que é a escuridão
Se não a falta de percepção do clarão?
Enxergas a tua luz.
Em cada ser que aqui neste planeta nasceu
Deus o pai, o criador de todos
Uma luz, uma força, um coração nele deixou
Mas também um senso largou
Chamado por uns de consciêcia e
por outros de
Livre-arbitrio
E todos o temos.
 
O amor... não se toca, não se pede,
não se implora
E muito menos se aprisiona,
faz exigências.
E condições, ele não tem nenhuma
Ele chega quando menos se espera
 
Noites com luz
Noites que parecem sem fim
Todos os momentos são necessários
para compora tua história.
E estes são as tuas escolhas
As tuas decisões
Não tem porque arrependimentos
Lamentações
Pois enquanto sangue
em tuas veias correr
É porque outros momentos na frente estão por vir,
para mudar o que mais quiser.
Para que como alguém em algum lugar escreveu
E aqui devemos concordar
Um novo final a sua história poder compor
 
Porque em noites que parecem não ter fim
É a tua alma te pedindo em urgência
Te clamando por vida....
E se ainda não percebeu
que tens uma vida inteira
para amar e para se permitir ser amado.
Deixe a vida te amar..
Pois foi isso
Que o criador de todas as coisas
Tem feito desde o seu começo...
Te amado!
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Entre, sente, leia e viva a poesia...
Desde já agradecendo o doce carinho de seu comentário
Debby :)